0

Alice no pais do monstro da corrupção

Posted by José Flávio Santos de Carvalho on 00:30
Terça-feira, 07 de julho
“Vai, vai, vai começar a brincadeira
Tem charanga tocando a noite inteira
Vem, vem, vem ver o circo de verdade
Tem, tem, tem picadeiro e qualidade
Corre, corre, minha gente que é preciso ser esperto
Quem quiser que vá na frente,
vê melhor quem vê de perto”
(O Circo - Sidney Miller)


Ah, Alice, te trago à lembrança nesse texto. Tu e teu país das maravilhas! Quem bom seria se o meu país também fosse o país dos encantos… Mas, que nada! De uns tempos pra cá, meu torrão natal está mais para país dos escândalos, do que para terra de enlevos... Que pena, que está assim tão relegado ao descaso, pois há grandes belezas naturais. É um belo chão, um belo jardim. Pena que não temos jardineiros competentes para fazê-lo florir, florescer, vicejar. Que adianta ter um jardim tão belo, se não há funcionários competentes para cuidá-lo...

Conta-nos Lewi Carol que estavas, tu, Alice, ao lado de tua irmã que lia um livro. Aborrecida por estares ali apenas fazendo companhia para tua mana querida, esticavas os olhos, tentando mergulhar também naquele mar de palavras. Tentavas te concentrar naquela viagem que só os livros proporcionam... E nada. Aborrecias-te cada vez mais.

De repente, desviastes teu olhar para um campo florido e correstes em busca de fazer um colar de flores. Quando corrias para lá, passou por ti, um coelho apressado. Até aí tudo bem. Tudo normal. Então o coelho tirou um relógio do bolso. Aí foi demais. Tirar um relógio do bolso, um coelho? Por curiosidade, fostes atrás dele, caíste na toca dele, e daí para um poço sem fundo, foi um passo. Nessa viagem maluca, fostes parar em uma terra onde os bichos falavam. Com as rosas e outras formas inanimadas era possível travar uma boa conversa. Travar uma batalha contra um castelo de cartas foi uma batalha perigosa. Gatos alegres, chapeleiros malucos, tudo isso, te deixou um pouco confusa, mas também te divertiu muito.

Enfim, voltastes ao mundo normal, real, e viste que tudo não passara de um sonho... Mas que sonho maravilhoso!

Por cá, pelo Brasil também, às vezes, tudo é aborrecido. Abrimos o jornal, e lá estão casos de empresários corruptos, policiais corruptos, empresários corruptos, médicos corruptos. Ligamos a televisão. Idem.

Corremos para os campos de margaridas, na esperança de que um coelho passe por nós tirando um relógio do bolso, para que possamos segui-lo e daí por diante, mas não passa coelho nenhum. Onde será que ele está escondido? Não duvido nada de que tenham roubado o relógio do coitadinho. Ou será que eles lhe deram propinas e o tal coelho agora só transporta malas cheias de dinheiro. Não, não pode ser. O coelhinho da historia de Lewi não tinha essa índole má.

Pensando bem Alice, e deixando um pouco de lado tuas histórias maravilhosas e fantasiosas, ficamos a pensar: onde e quando será que nossa sociedade se corrompeu? Onde será que os governantes falharam? Onde nós, enquanto sociedade, falhamos. Sim, porque em algum momento perdemos as rédeas do cavalo. Ou será que fomos perdendo aos poucos, por achar isso normal acabamos mergulhando num poço sem fundo que não nos levou a um país onde a linguagem falada não era a dos contos de fada, mas a língua da propina?

Recentemente, algumas notícias nos provocaram ainda mais. Por exemplo, a megaoperação montada pela polícia do Rio de Janeiro. Uma operação da policia para prender policiais bandidos. E não era um policial apenas, mas um batalhão inteiro, irmanados com bandidos da pior espécie. É de arrepiar ver policiais, vestindo farda da policia, pagos pelo Estado para defender o cidadão, vendendo drogas, dando ordens aos bandidos para assaltarem aos cidadão de bem. Em outros momentos, alertando os traficantes sobres as operações a serem feitas pelos próprios colegas de farda, a fim de que os traficantes saíssem ilesos.

Diante disso, como fica o cidadão carioca, ao se deparar com um policial. Que confusão não deve ficar na cabeça desse cidadão, ao não saber se quem está diante dele, é um policial de verdade, ou um bandido vestido de policial, um falsário?

Também é estarrecedor ver médicos receitando remédios, instalando próteses em pacientes quando eles não precisam. Outros receitando remédios caros para os pacientes quando estes nem a própria doença tinham, apenas para, nos dois casos, lucrarem com a vida humana. E olhem que o médico faz um belo juramento quando do momento da formatura.

O que vale a vida humana para essas pessoas?

E eu vos pergunto: policiais bandidos existem apenas no Rio de Janeiro, naquele batalhão em São Gonçalo? Médicos desonestos existem apenas naqueles hospitais onde houve denúncias de médicos desonestos?

Que nada! Pelo Brasil inteiro, nas corporações policiais, existem maus policiais, que não trabalham para o cidadão, mas para o traficante, assaltante, bandido. Pelo Brasil afora, existem médicos enganando pacientes, e se esquecendo completamente do juramento que fizeram de salvar vidas.

Graças a Deus, esses bandidos e enganadores nas instituições bancadas com o dinheiro público, são em minoria. Aqueles que fazem um bom trabalho e se comprometem com o serviço que fazem, que vestem e honram a camisa da instituição em que trabalham são a maioria.

Mas aí mora um perigo, uma armadilha. Se não forem tomadas providencias no sentido de punir essas poucas maças podres, elas contaminarão outras maçãs boas, e isso vira uma bola de neve, e quando quisermos reverter a situação, será bem mais complicado.

Foi o que aconteceu nas décadas de 60 e 70, quando o tráfico no morro, e nas periferias eram apenas embriões e o Estado fez vista grossa. Hoje em dia, aquele embrião virou um monstro voraz disposto a engolir até mesmo a polícia.

Se o Estado tivesse agido rápido, naquela ocasião. Se tivesse reprimido o tráfico, se tivesse levado melhores condições de vida para o povo da periferia, nada disso que estamos vendo hoje estaria acontecendo. Certamente, viveríamos em um país muito mais cheio de paz.

Também, se décadas atrás, o judiciário não tivesse fechado os olhos para todos os acordos espúrios e conchavos que se faziam nos bastidores da política, nada disso estaria acontecendo hoje. Se o Estado tivesse agido quando a corrupção também era apenas um embrião, no máximo um monstrinho teria sido mais fácil. Agora não, o bicho virou um Godzilla, um não, vários Godzillas.

E eles são vorazes. Por onde passam espalham morte e destruição. O monstro do crime organizado no tráfico de drogas é perigoso, mas o monstro do crime organizado da corrupção é mais letal. O primeiro devora um segmento da população: os viciados. O segundo destrói um país inteiro.

Esse pessoal que está aí no governo é um pessoal que se deve ter muito cuidado com eles. Pensávamos que os perigosos estavam apenas no PT. Hoje vemos que não é bem assim. Já que estamos falando em crime organizado, usemos aqui a palavra facção política, em vez de partidos políticos.

As facções política em nosso país estão muito bem estruturadas. E o que é pior se protegem umas às outras, pois sabem que se uma cair, as outras caem juntas.

Até quando o presidente Temer fará o Brasil sofrer e passar vergonha perante a comunidade internacional? Um governo que o que apenas tem feito desde as delações da JBS, é apenas se defender das acusações de corrupção. Também fica a pergunta, pode ser honesto um governo que está rodeado de auxiliares de primeiro escalão, mergulhados com os dois pés no pântano fétido da corrupção?

É tudo tão inverossímil, quanto inverossímil foi a decisão do ministro Marco Aurélio Melo de derrubar a decisão que tirou Aécio do Senado. O Senador voltou. A decisão do ministro foi um tanto quanto irônica, principalmente quando ele diz que o senador tem uma carreira política elogiável, e bla, blá, blá. O senador Aécio Neves é tão corrupto quanto os outros políticos que estão sendo acusados de corrupção.

Se havia um acordo para salvar os mandatos de Aécio e Temer, a primeira parte foi cumprida. Vamos então ver como se encaminham as coisas na Câmara dos Deputados. Fiquemos atentos: eles estão com pressa em votar a denúncia contra o presidente Temer. Será que eles também vão referendar a corrupção? Será que vão assinar embaixo das ilicitudes cometidas pelo presidente?

Às vezes, Alice, é tudo tão aborrecedor que temos vontade de embarcar num sonho maravilhoso como o que tu tiveste. Mas precisamos ficar acordados. Talvez já tenhamos dormido demais no passado. Talvez tenhamos nos enganado pensando que vivíamos no país das maravilhas. Mas isso já passou. Dessa vez, é hora de ficar acordado e encarar o monstro, ou os monstros.

0 Comments

Postar um comentário

Copyright © 2009 Cottidianos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive. Distribuído por Templates