0

Tornando a OAB-Campinas mais verde e mais bela

Posted by José Flávio Santos de Carvalho on 00:06

Quarta-feira, 01 de fevereiro

Da esquerda para a direita: Ivan Castrese, Daniel Blikstein, Luciana Cunha, Claúdio Vieira, e Paulo Braga

Com o que se pareceria o mundo sem as árvores? Um corpo sem alma, talvez? Nas matas e florestas elas reinam soberanas com seus mantos verdejantes. Nesses ambientes até a mais simples relva se assemelha a tapetes de tão rara beleza que nenhum homem seria capaz de tecer igual.

Nas grandes cidades, elas já não reinam assim tão soberanas. Há espaços determinados para que se mostrem em toda a sua exuberância. Precisam de políticas públicas ambientais para que sejam plantadas, protegidas, e preservadas.

Que tédio seria andar pelas grandes cidades, olhar para os lados, e para frente e não ver verde algum, apenas a frieza do asfalto que, sob sol escaldante se torna ainda mais cruel.

Pensando em todo esse cenário, a OAB-Campinas, tornou na manhã desta terça-feira (31), ainda mais bela sua sede.

Em uma solenidade da qual participaram autoridades, advogados, e funcionários, a Ordem dos Advogados do Brasil, 3ª Subseção Campinas, efetuou o plantio de 65 árvores nativas na área da Casa da Advocacia de Campinas. Entre as espécies de árvores plantadas estão cedro rosa, jequitibá rosa, ipês, araçá pitangueira, araçá-amarelo, cerejeiras, dentre outras.

A ação ambiental envolveu a OAB-Campinas, a Prefeitura Municipal de Campinas, através da Secretaria Municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, e a MRV Engenharia, tudo se encaixando perfeitamente, no projeto de arborização da cidade de Campinas, desenvolvido pela Prefeitura Municipal de Campinas.

A solenidade contou com a participação dos diretores da OAB-Campinas; Daniel Blikstein (presidente); Luciana Cunha (vice-presidente), Paulo Braga (Secretário Geral), Cláudio Vieira (Secretario Adjunto), e Ivan Castrese (Tesoureiro); dos ex-presidentes da Subseção, o vereador Marcos Bernardelli e o advogado Sérgio Carvalho de Aguiar Vallim Filho. O evento contou ainda com a presença do Dr. Adynê Roberto de Vasconcelos, presidente da Comissão de Ética e Disciplina da OAB-Campinas, do Dr. George Raymond Zouein, presidente do Tribunal de Ética e Disciplina (TED), 17ª Turma – Campinas, do secretário Rogério Menezes, titular da Secretaria Municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e do diretor de Produção da MRV Engenharia, Tulio Pereira Barbosa, e do vice-prefeito de Campinas, Henrique Magalhães Teixeira (PSDB).

Também estiveram presentes ao evento, o advogado Rafael Duarte Moya, presidente da Comissão de Meio Ambiente, Ecologia e Interesses Difusos da OAB-Campinas, e o advogado Marcos Roberto Boni, Diretor do Departamento do Verde e do Desenvolvimento Sustentável da Prefeitura Municipal de Campinas, e o Dr. Antonio Carlos Chiminazzo, Presidente Regional de Prerrogativas da 5ª Região.

Na ocasião este blog fez duas entrevistas, uma com o Dr. Rafael Duarte Moya, e com o Dr. Marcos Boni.

Abaixo segue, a entrevista com o Dr. Rafael Duarte Moya. E, em próxima postagem, a entrevista com Marcos Boni.

***

A OAB dá o exemplo de que toda a sociedade tem de se envolver na discussão do meio ambiente.

Entrevista Rafael Duarte Moya


Dr. Rafael Moya
 Cottidianos - Dr. Rafael, como surgiu a ideia do plantio dessas árvores aqui na OAB-Campinas, através do projeto Muda Campinas?

Rafael Duarte Moya A prefeitura de Campinas já tem esse projeto do Banco de Áreas Verdes. A partir de uma ideia do Carlão Chiminazzo ((Dr. Antonio Carlos Chiminazzo, Presidente Regional de Prerrogativas da 5ª Região), foi que nós começamos essa articulação junto com ele, junto com Marcos Boni, que também é advogado, já foi da Comissão de Meio Ambiente, e hoje tá na Secretária do Verde, pra que a sede da OAB, aqui de Campinas, pudesse receber as mudas do Banco de Áreas Verdes, e aí começou o projeto.

Cottidianos - Há quanto tempo?

Rafael Duarte Moya - Essa articulação toda veio a uns seis meses que a gente vem conversando, planejando, vendo quais as melhores mudas, fazendo todas as questões jurídicas ideiais para que isso possa acontecer.

 Cottidianos - O Sr. é presidente da Comissão de Meio Ambiente da OAB-Campinas. Também atua em outros órgãos?

Rafael Duarte Moya - Sim. Já tem alguns anos que eu tenho atuação em Campinas nas questões ambientais. Sou ex-presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Campinas, e atualmente eu tô como presidente da APA de Campinas, que é uma área de proteção ambiental, na Região Norte de Campinas, ali mais na região de Souzas e Joaquim Egídio, a qual representa 28% do território da cidade, e a questão da arborização, é uma questão muito importante, a arborização reduz o calor, atrai animais silvestres, ela serve como quebra vento de rajadas de vento, ela também é muito importante na qualidade do ar que a gente respira. A OAB dá o exemplo, na verdade, de que toda a sociedade tem de se envolver   na discussão do meio ambiente, particularmente, na arborização urbana.


Cottidianos - Campinas é uma cidade arborizada na sua opinião?

Rafael Duarte Moya - Tecnicamente, Campinas é considerada uma cidade arborizada pra média nacional, mas ainda tem muito que fazer. Primeiro, porque essas árvores estão muito concentradas em algumas regiões de Campinas, em detrimento de outras. Então a gente precisa ter uma distribuição melhor, e também cuidar das árvores que tem, porque esse é um outro problemafalta políticas públicas de cuidados com as árvores que nós já temos, pois com qualquer chuva elas caem, elas morrem, porque elas não tem esse cuidado adequado.

Cottidianos - Como advogado atuante nessa área, que dificuldades o Sr. encontra na implantação dessas políticas pública no cuidado da arborização da cidade?

Rafael Duarte Moya - São várias. Na verdade, a gente poderia elencar duas, principalmente, a questão a educação ambiental, na qual, a população em geral precisa entender que ela tem responsabilidade pela arborização urbana, que árvore não é sujeira na calçada, que árvore não é pra tapar a iluminação, que árvore não é pra bandido se esconder, mas que é um bem ambiental que atende a cidade toda. E a outra dificuldade são políticas públicas mais perenes e sérias de plantio de longo prazo, e de cuidado dessas mudas. São essas duas que eu percebo que a gente tem que resolver enquanto sociedade.

Cottidianos - Como funciona o projeto Muda Campinas?

Rafael Duarte Moya - O Projeto Muda Campinas, é um projeto da prefeitura de Campinas, na qual as empresas, e quem precisa fazer compensação ambiental oferece as mudas, e quem quer receber mudas, se comunica com esse banco “olha, eu quero receber uma determinada quantidade de mudas, então a prefeitura faz essa ponte entre quem precisa plantar, e quem precisa receber as mudas, e aí todo esse cuidado para que não só essas mudas sejam plantadas, mas sejam cuidadas para florescerem de verdade, para ficarem independentes.         

Cottidianos - Tem algum custo para ambas as partes?

Rafael Duarte Moya - Pra quem oferece a muda tem. Porque a empresa que precisa fazer a compensação ambiental ela tem que comprar as mudas, plantar as mudas, e cuidar por um tempo. Pra quem recebe não. Pra quem recebe, não, tem apenas a disponibilização da área.

Cottidianos - E tem muita gente que procura?

Rafael Duarte Moya - Ainda é incipiente. O projeto precisa ser adequado em algumas coisas, mas ainda não teve a divulgação adequada em que pese na região da APA de Campinas várias propriedades já receberam, mais ainda precisa ser mais pulverizado e divulgado essa prática.

0 Comments

Postar um comentário

Copyright © 2009 Cottidianos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive. Distribuído por Templates